Cartão de marca própria ou cartão de banco?

Tempo de leitura: 7 minutos

Em meio as diversas formas de pagamento existentes, conceder opções aos clientes na hora de pagar é sempre uma boa ideia. Isso evita que os mesmos busquem na concorrência as condições e os meios de pagamento que preferem ou necessitam.

Os cartões de crédito são uma das opções mais utilizadas pelos consumidores e comerciantes, estes facilitam a vida de ambos dando maior segurança e velocidade no processo de pagamento.

Dentre as inúmeras opções de cartões presentes no mercado, neste artigo vamos comparar duas: os cartões de crédito tradicionais (oferecidos geralmente pelos bancos) e os cartões de uso exclusivo (oferecidos pelo comércio), também conhecidos como cartões de marca própria.

Tomando como referência os cartões de crédito tradicionais, vamos pontuar algumas vantagens e desvantagens dos cartões de marca própria.

Os cartões de lojas, supermercados, farmácias e demais estabelecimentos, tem ganhado a atenção dos brasileiros há algum tempo. Para os comerciantes, estes são uma ótima forma de atrair e fidelizar mais clientes com condições especiais e benefícios. Contudo, também são interessantes para os clientes que desfrutam das condições especiais de pagamento e algumas outras vantagens.

Vale ressaltar que as regras e benefícios para estes cartões podem variar de comércio para comércio. Por conta disso, vamos abordar apenas as características mais genérica dos mesmos.

Vantagens para o consumidor

A princípio, podemos citar que estes cartões geralmente tem menos burocracia para serem adquiridos, o que não anula procedimentos básicos como: a análise de crédito. Mas, facilita o acesso do mesmo para o consumidor.

Um diferencial a ser destacado, é que estes cartões são direcionados a um público reduzido, o que permite ao mesmo ser planejado para oferecer vantagens exclusivas e voltadas para um seguimento ou nicho de mercado, tornando a ferramenta mais interessante para o público alvo e ajudando o comerciante a atingir os seus objetivos.

Ao contrário dos cartões tradicionais, os cartões de uso exclusivo costumam não ter anuidades e além da função de crédito, geralmente possuem alguns benefícios extras como: descontos; pontos para troca; Cashback etc.

Além de todos estes benefícios, na maioria das vezes, estes cartões também permitem uma maior possibilidade de parcelamento e um prazo maior para a quitação das faturas.

Um outro benefício dos cartões de marca própria é que ao utiliza-lo, o cliente deixa de usar o limite do seu cartão de crédito tradicional, podendo assim, destina-lo a outras compras.

Vantagens para o comerciante.

Ter um cartão de crédito exclusivo organiza as vendas no crédito do comércio e facilita o recebimento das vendas a prazo. Uma vez que o comerciante adquire o cartão, as cobranças são realizadas pelas administradoras (do cartão) por notificações via telefone, juntamente com emissão de faturas, o que de certa forma “pressiona” o consumidor a quitar seu débito.

A fidelização dos clientes e a proteção contra a concorrência também são diferenciais proporcionado pelo cartão de uso exclusivo, uma vez que se aplica os benefícios e as regras de crédito corretamente, o volume de vendas do comércio tende a crescer substancialmente e o número de evasão dos clientes para a concorrência tende a reduzir.

Com relação as taxas: ao contrário dos cartões oferecidos por bancos, os juros e multas referente ao atraso de pagamento ficam para o próprio estabelecimento. A vantagem é que o dinheiro retido nas mãos dos clientes passa a ser um investimento quando este atrasa o pagamento. 

Como benefícios gerais dos cartões próprios podemos destacar:

  • Aumento da fidelização de clientes devido a condições, ofertas, promoções e descontos exclusivos;
  • Maior otimização no trabalho de marketing devido a possibilidade da construção mais detalhada do perfil dos clientes;
  • Rentabilização do investimento através de juros, encargos, tarifas operacionais.
  • Modernização da operação proporcionando agilidade e praticidade melhorando a experiência e pagamento;
  • Divulgação e fortalecimento da marca através do próprio cartão que associa modernidade e imponência à mesma, assim como aumenta a satisfação do cliente; 
  • Emissão de faturas em nome da administradora, facilitando a cobrança;
  • Facilidade na cobrança de juros e encargos, uma vez que esses são incluídos diretamente na fatura;
  • Análise de crédito facilitada devido ao perfil do cliente ser atualizado a cada interação;
  • Aumento de ticket médio ao dar maior poder de compra ao cliente;
  • Compartilhamento de limite com dependentes;
  • Diferencial competitivo através de uma melhor experiência de compra e pagamento.

Desvantagens para o consumidor

Uma das desvantagens é que estes cartões são restritos apenas a um comércio, ou a um pequeno grupo destes. Isso significa que os consumidores precisem ter mais cartões para atender suas diversas necessidades, o que pode gerar um pouco de desorganização financeira. Contudo, as vantagens na hora da compra são compensadoras em relação aos cartões tradicionais.

É sempre bom lembrar que antes de adquirir um destes cartões, os consumidores devem se atentar aos benefícios para saberem se realmente valem a pena e mais do que isso, devem prestar atenção nas taxas e multas que provavelmente estarão atreladas aos cartões. Em alguns casos, estas podem ser elevadas e ficam em segundo plano no momento em que o cartão é oferecido.

Outro cuidado que o usuário de cartões deve ter é em relação aos cartões de lojas que possuem bandeiras tradicionalmente usados por bancos, (os cartões mistos) geralmente ofertados por grandes lojas de departamento. Estes oferecem o melhor dos dois cartões aqui citados, porém geralmente escondem as maiores taxas, tarifas e anuidade.

Desvantagens para o comerciante.

A desvantagem para o comerciante é basicamente ter que assumir o risco da inadimplência, enquanto nos cartões tradicionais este fica para as administradoras. No entanto, quando os cartões próprios entram como atualização de um programa de crediário ultrapassado, eles na verdade passam a ser uma forma de reduzir riscos. 

De todo modo, assumir este risco também tem seu lado positivo. Quando se usa um cartão de credito próprio, seu crediário se torna um investimento lucrativo rentabilizando o seu dinheiro investido através de juros, assim como fazem as administradoras de cartões de banco.

Sendo assim, mesmo que o consumidor se atrapalhe ou atrase na hora de pagar uma fatura, seu negócio ainda vai estar lucrando. 

Por que e para que usamos cartões?

Segundo dados de pesquisas do SPC Brasil os principais motivos que levam as pessoas a recorrerem aos cartões de crédito, é não ter condições de realizar o pagamento à vista de uma compra ou para poder comprar mais. Já o principal motivo que leva uma pessoa a escolher um determinado cartão de crédito, é a quantidade de burocracia envolvida na aquisição do mesmo.

Se tratando dos cartões de marca própria, os principais motivos que levam as pessoas a adquiri-los, é o de não ter condições para o pagamento à vista de uma compra seguido de não ter um cartão de crédito tradicional ou ter e estar sem limite no mesmo.

Quanto aos produtos mais comprados com estes cartões, podemos citar em primeiro lugar os artigos de moda (roupas, calçados e acessórios), seguidos por eletrônicos; eletrodomésticos; moveis e compras em supermercados.

O fato é que a compra a prazo é uma das formas de pagamento mais praticada pelos brasileiros, sendo que cerca de 27% desta população usou pelo menos uma forma de crédito no período de um ano, isso mostra que há espaço para ambos cartões coexistirem neste grande mercado que não deve ser ignorado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *